(95) 99143-2647 |atendimento@caofeliz.com
Português France Italian English Spanish

Curiosidades

Curiosidades


Saberia responder?

Saberia responder?

  •  Beijar na boca do pet faz mal?

    Muitos donos de cães curtem beijar a boca do bicho de estimação. Alguns acreditam que a boca do cão é mais limpa do que a dos humanos, outros acham que é uma super demonstração de carinho, e também têm aqueles que dizem “Credo... que nojo”! O que poucos sabem é que, pela saliva, os cães podem transmitir doenças ao homem e vice-versa. A saliva do cachorro pode transportar bactérias, vermes e fungos; e a do homem pode transmitir vírus, como o da herpes, e até passar o famoso “sapinho”. Ou seja, a prática de beijar os pets na boca pode ser prejudicial para a saúde de ambos.

  •  Óculos escuro para cães: exagero ou necessidade?

    Muita gente, quando vê um cão de óculos escuro, logo pensa: “esse é cachorrinho de madame!”. O acessório é encarado por algumas pessoas como futilidade, mas é importante esclarecer que, em algumas situações, é bastante útil: ajuda a proteger os olhos do animal do sol e da luz, principalmente dos cães de pêlo curto. Cachorros que andam de moto, ou costumam passear em dunas de areia com seus donos, devem usar o adereço para evitar que pequenas partículas afetem os olhos do bicho. E o que os olhos não vêem, a pele sente. Sempre que sair para passear com seu cão em dias de muito sol, passe protetor solar no focinho e nas partes mais claras do corpo, como a barriga.

  •  Os porcos são porcos?

    Ao contrário do que muitas pessoas pensam, os porcos são animais preocupados com a higiene pessoal. Eles tomam os famosos banhos de lama para se refrescarem e se manterem limpos. Ah, e gostam também de cuidar da higiene dos outros porcos, o que pra eles é um sinal de afeto. Claro que essa história de que os porcos não são chegados numa limpeza tem um fundinho de verdade... Quando não tem água ou lama disponível, eles defecam e deitam em cima das fezes para se refrescar!

  •  Como seu cachorro seria se vivesse em outro país?

    Por incrível que pareça, cães da mesma raça são diferentes em cada parte do mundo! O comportamento e o temperamento variam dependendo do país. No Iraque, o Cocker pode ser mais agressivo do que na Suíça e o Poodle mais dócil na Itália se comparado com um da Turquia. Mas o que a nacionalidade tem a ver com o comportamento??? A resposta é simples: os cães adquirem a cultura de seus “donos”. Um cachorro num elevador de Nova Iorque com certeza não vai cheirar a roupa da pessoa que está do lado, pelo contrário, ficará num cantinho do elevador quase virado para a parede. Isso porque, os norte-americanos são menos tolerantes e respeitam mais a individualidade do outro. Logo, os cães aprendem desde pequenos que não devem meter o focinho onde não são chamados... Já o temperamento do animal depende de sua origem. Por exemplo: cães dóceis vindos de um determinado país e procriados no Brasil, provavelmente vão gerar filhotes com a mesma docilidade.

  •  Gatos também podem ser adestrados?

    Ao contrário do que muita gente imagina, é possível adestrar gatos. O bichano, inclusive, é um aprendiz privilegiado... A habilidade para aprender alguns comportamentos pela simples observação é mais acentuada e mais fácil de ser demonstrada no gato do que no cão. Apesar de mais independente que o cachorro, o bichano também é capaz de aprender a obedecer a comandos.

  •  Os bichos são fiéis?

    Podemos dizer que fidelidade não é o forte dos animais... São pouquíssimas espécies que escolhem um parceiro e permanecem com ele para o resto da vida. E, com o avanço da ciência e a chegada do DNA, até esses animais que eram considerados extremamente fiéis, estão sendo colocados à prova. Acreditava-se que os pombos, por exemplo, eram incapazes de trair... Hoje, testes de DNA mostram que muitas pombinhas “pulam a cerca” e que os filhotes, muitas vezes, não são do parceiro. Mas, toda essa infidelidade que rola no mundo animal tem uma vantagem natural. No caso da fêmea, trair o companheiro aumenta as chances de ter um filhote de sucesso. Se ela tiver todos os filhotes com o mesmo parceiro, corre o risco da genética do pai não ser tão boa e, consequentemente, dos seus herdeiros se darem mal na vida adulta. Já os machos mais fortes e dominantes têm o comportamento típico do que as mulheres chamam de homem “galinha”: querem ficar com todas! Assim, eles têm a possibilidade de passar seus genes para uma grande quantidade de filhotes, que serão mais preparados para garantir a sobrevivência de sua espécie.