(65)4042-1055 |atendimento@caofeliz.com
Português France Italian English Spanish

Border Collie - Tudo Sobre essa raça

Border Collie - Tudo Sobre essa raça


O Border collie é originário das regiões da Grã-Bretanha, Europa, Nova Zelândia e Oceania. Ele é o resultado de mais de um século de criação para a função de pastor de ovelhas. Por volta de 1800, existia uma boa diversidade de cães pastores de ovelhas na Grã-Bretanha. Alguns deles eram cães usados especialmente em resgates, com uma tendência inata para cercar o rebanho e trazê-lo de volta para o pastor. Mas, não se deixe enganar, o lado pastoreio pode ser um pouco negativo se não for treinado co

O Border collie é originário das regiões da Grã-Bretanha, Europa, Nova Zelândia e Oceania. Ele é o resultado de mais de um século de criação para a função de pastor de ovelhas. Por volta de 1800, existia uma boa diversidade de cães pastores de ovelhas na Grã-Bretanha. Alguns deles eram cães usados especialmente em resgates, com uma tendência inata para cercar o rebanho e trazê-lo de volta para o pastor. Mas, não se deixe enganar, o lado pastoreio pode ser um pouco negativo se não for treinado corretamente.

Os cães eram chamados de cães pastores de ovelhas. Apenas em meados de 1915 foi registrado o nome Border Collie, uma referência à sua origem nas fronteiras inglesas e escocesas. O Border Collie chegou à América e imediatamente encantou os criadores de ovelhas com seu trabalho rápido e sua capacidade de obediência e inteligência.

Essa raça é um pacote de energia física e mental, inteligentes e obedientes. Ele se concentra em tudo que faz e também gosta de caçar outros animais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Características físicas:

É um cachorro bastante ágil, com uma forma física ideal para fazer exercício, saltar e correr.

Aparência geral: suavidade, graça e equilíbrio;
Crânio: razoavelmente largo;
Focinho: afinando, moderadamente curto e forte;
Tronco:  ligeiramente mais longo que a altura nos ombros;
Temperamento: bastante sociável, alerta, receptivo e inteligente. Dificilmente fica muito nervoso;
Face: preta e branca, mas também pode ser de cor marrom ou chocolate e branco;
Bochecha: não é muito cheia:
Pescoço: forte, musculoso, levemente arqueado e alargando em direção aos ombros;
Tronco: aparência atlética;
Pelagem: a pelagem de cobertura é densa e de textura média, subpelo macio e denso, fornecendo boa proteção contra intempéries;
Tamanho:
1. Machos: 53 cm.
2. Fêmeas: um pouco menores que os machos.
Olhos: azul, marrom e podendo ter os dois;

Cinolidade (personalidade)

Ele é amável e brincalhão, trazendo assim muita alegria à sua família. Ele não dispensa a oportunidade de demonstrar afeto pelo seu tutor. Também é um ótimo cão para te acompanhar em longas caminhadas e aventuras. Conviver com um cachorro dessa raça e não se apaixonar por ele é praticamente impossível. Além disso, nem todas as pessoas estão aptas para criar um Border Collie, visto que é uma raça que tem bastante energia, seus tutores precisam dar conta de acompanhar o "ritmo" dele. 

O grande destaque dessa raça é que ela possui muita inteligência, uma incrível capacidade de aprendizagem e memorização, resultando num processo mais fácil e rápido de adestramento.

Principais doenças:

Como a maioria dos cães de porte grande, o Border Collie também pode sofrer com alguns problemas locomotores. O seu pet pode viver uma vida saudável sem ser acometido por nenhuma patologia. Essas doenças possuem tratamento, mas é relevante que os tutores saibam com antecedência para que a saúde do pet seja sempre bem tratada.

Anomalia do olho do Collie (CEA): é uma doença hereditária de característica recessiva, caracterizada pelo desenvolvimento incompleto da coroide, a camada altamente vascularizada do olho que supre a retina de sangue e nutrientes;

Dermatomiosite: é uma dermatite de natureza hereditária e inflamatória da pele e dos músculos de cães;

Hemofilia: é a alteração nos genes codificantes do FVIII que se localizam no cromossomo X. Assim, seus casos em cães machos é quase exclusiva;

Histiocitose cutânea: é considerada uma neoplasia benigna do cão e usualmente ocorre como lesão solitária, que geralmente regride espontaneamente;

Lúpus eritematoso discóide e sistêmico: é uma doença multissistémica, de base auto-imune, que afeta vários órgãos e tecidos, provocando vários sinais clínicos. Não existe nenhum exame definitivo que confirme a doença, tratando-se de um diagnóstico principalmente clínico;

Pênfigo foliáceo e eritematoso: é uma dermatite autoimune que pode apresentar formação de pústulas ou de crostas. Afeta a epiderme, tendo como alvo diversas moléculas de adesão, principalmente os desmossomos;

Dermatite por Malassezia: é um fungo facilmente encontrado na pele e mucosas de mamíferos e aves no orifício anal, ouvido externo, lábios e pele interdigital de cães;

Síndrome da dilatação/torção vôlvulo-gástrica: a torção gástrica é uma doença onde há uma dilatação excessiva e torção do estômago;

Displasia Coxofemoral:  é uma má formação na articulação e que pode ser classificada em vários estágios, a depender de sua gravidade. Esta doença pode ser ocasionada por herança genética, ou ser adquirida ao longo da vida devido a obesidade ou sobrecarga de atividades físicas.

 

Curiosidades:

Além de toda a fofura, essa raça carrega o 1° lugar de cães mais inteligentes do mundo. Com tanta inteligência, há sempre curiosidade sobre essa incrível raça canina.

• Pastor de ovelhas;
• O padrão dele era por comportamento;
• O tutor precisa ter muita energia;
• Ele não é apenas preto e branco;
• São animais muito apegados a família;
• Precisam de adestramento ainda quando filhotes, para evitar alguns problemas de comportamento;
• Conquistaram o coração da nobreza;
• São muito sensíveis a barulho;
• É uma estrela de Brasília;
• 1° da lista The Intelligent Dogs (Os cachorros inteligentes) de Stanley Coren.


Cuidados:

Esse cão é bastante ativo, isso significa que sem uma rotina e espaço ele pode acabar com ansiedade e se estressando.
Por esse motivo, o recomendado é que haja saídas de pelo menos 3 vezes diárias de uma hora ou 4 saídas de 40 minutos cada uma. O Border irá se cansar de realizar os mesmos exercícios e ser premiado pela mesma rotina de ordens.

Pode realizar com ele brincadeiras como, ir buscar a bola, realizar circuitos ou outro tipo de atividade que fomente tanto a criatividade da criança como a estimulação do cachorro. O agility é uma ótima opção de exercício físico e mental também. Em casa é possível criar obstáculos usando tijolos, baldes de água, cabos de vassoura, rodo, etc. A imaginação e criatividade nessas horas são fortes aliadas. Para saber mais sobre o agility, sugerimos que leia essa matéria no link a seguir: https://petable.care/pt/2020/10/26/7-beneficios-treino-de-agility-para-si-e-para-o-seu-cao/

 

O Border Collie demora em média 5 exercícios a aprender uma nova ordem, enquanto que cachorros menos inteligentes podem precisar de 30 a 40 repetições para mostrar compreensão.